terça-feira, maio 27, 2014

Diabetes

Os dias vão passando muito rápido... e o hábito não muda... o de continuar contando os meses no seu vigésimo quinto dia... puxa vida.... como isso ainda dói... não posso evitar.

É como ter uma ferida e esperar toda vez que passar pela quina de lugar qualquer e topar nela e ela abrir e sangrar e doer e chorar...

As vezes me pego lembrando do dia que chegamos nesse apartamento... eram tantas divergências em mim... e a foto que fiz de você na janela com um sorriso misturado de ansiedade e medo... e eu estava semi-presente... como isso dói...

dói sim... e a ferida abre...e sangra... e doí... e choro...

não sei porque... sei que a vida era mais doce em outros tempo... e de tão doce, o machucado não cicatriza... diabetes na certa...

But i miss you
But there's comin' home
There's no comin' home
With a name like mine
I still think of you
But everyone knows
Yeah everyone knows
If you care, let it go

quinta-feira, maio 01, 2014

promessas...


em uma tarde qualquer de um outono passado...

– não quero nada pra sempre... pra sempre sempre acaba. Te quero todo dia.
– combinado então
*cospe na mão de mentirinha e aperta*
– te quero todo dia por 80 anos. combinado?
– combinado.

...

como isso se perdeu?