quinta-feira, fevereiro 18, 2010

História sobre o comportamento feminino

Não me lembro ao certo onde ouvi essa história... mas ela acabou servindo para ilustrar várias conversas e se mostrou verdadeira em muitas ocasiões.

É a história de uma mulher que tem a grande chance de ser feliz. Na história é ilustrada como a busca do homem ideal... mas pode ser facilmente substituída por qualquer coisa, tendo em vista que é natural do comportamento feminino a inconstância, a indecisão.

Por favor mulheres leitoras desse pouco visitado blog, não se ofendam. Não é uma história que combina com a maioria de vocês e nem em todos os campos do comportamento feminino.

Certa vez uma mulher recebeu a oportunidade de escolher um homem para passar a vida toda. Mas não seria assim tão fácil. Ela entraria num edifício e em cada andar ela encontraria uma qualidade de homem. Mas ela só teria a oportunidade de estar naquele andar uma vez. Se ela saisse, não poderia voltar, e o elevador a levaria para um andar superior. Era um edifício enorme e da portaria ela não conseguia enxergar seu topo e nem saber quantos andares tinha esse prédio mágico. Mas ela topou, e pensou que em tantos andares ela encontraria seu tão sonhado príncipe encantado.

Chegando ao hall, um local muito bem decorado, foi direto ao elevador para se encaminhar ao primeiro andar. No painel do elevador só continha um botão que indicava próximo andar com uma seta para cima. Não teria mais como voltar.

Quando a porta abriu ela se deparou com uma paisagem paradisíaca. Algo que parecia o mar do caribe, com uma choupana ao fundo e um horizonte avermelhado pelo fim de tarde. A esperando estava um homem muito bonito, não tinha exageros na sua beleza, era educado, romântico, cuidadoso, atencioso... E ela decidiu ficar de cara. Ficou durante 1 dia inteiro e foi embora no seguinte fugindo... Achou perfeito de mais.

Entrando no elevador ela foi para o andar seguinte. Chegou e viu uma sala que parecia uma biblioteca, com muitos volumes, uma lareira em um dos cantos, parecia muito com uma biblioteca de um palacete. Um homem com ar austero estava folheando algum livro aleátorio e quando a viu chegar largou imediatamente o livro e prontamente se propôs a aquecê-la, ela não entendeu mas entrando na sala viu que fora estava nevando. Ele veio com cobertores, pantufas, chá quente, carinho, atenção e educação. Ela ficou um pouco e foi embora, achou ele muito solicito.

No terceiro andar ela não ficou, era uma cela de prisão, um homem sujo, gordo, suado, com dentes enegrecidos estava esperando. Abriu a porta e fechou logo que percebeu do que se tratava.

O quarto foi o que ela ficou durante mais tempo. Era um cara com uma beleza normal, educado na medida, inteligente de mais. Talvez por isso ela tenha ido embora.

Ela foi subindo, se deparou com homens afeminados de mais, mulherengos de mais, secos de mais, grosseiros de mais, bonitos de mais... E não tinha mais ideia de onde estava...

Até que chegou em um andar onde não tinha nada... era a cobertura. Não tinha homem algum, não era lugar algum, não tinha nada além da vista do topo do mundo. Sentou e chorou. Percebeu que tinha perdido todas as chances e teria que ficar ali para sempre, sozinha.

---

Bem, certamente não é um comportamento exclusivo feminino, mas temos um estranho hábito de sempre querer mais, querer tudo, querer outra coisa sem dar valor ao que já temos, ao que ja construímos, ao que já nos faz bem...