sexta-feira, janeiro 29, 2010

Cena cotidiana

Eis que um cidadão entra no coletivo com seu mais moderno aparelho celular ao som da doce melodia do funk carioca quando então minha compahia fala "Eis a pior invenção da humanidade".

Por instantes seculares eu refleti sobre todas as possíveis piores invenções que a humanidade produziu para tentar argumentar ou concordar com o comentário realizado.

Bombas, armas, doenças, satélites...

Nada disso... diante da infinidade de coisas só consegui responder: "O quê?! O ser-humano?!"