quinta-feira, março 13, 2008

Tempo, circulares e outras futilidades...

Tempo. Uma unidade de medida. Uma tentiva estúpida de se medir matéria-viva. Se as coisas fossem totalmente matemáticas... Como explicar quando o tempo acelera e deixa de seguir a ordem dividida em sessenta partes... E quando o tempo pára, se torna pesado, se torna eterno... Porque temos que estragar tudo e colocar ele em um padrão que se conta de sessenta em sessenta durante 24h e dividimos tudo?

Dividimos tanto as coisas que procuramos uma simetria perfeita, que já foi comprovado que nunca existiu e nunca existirá na natureza... Passamos a vida em busca de algo perfeito... em busca de algo que não existe!

Não existe como outras tantas coisas... o que existe de fato é que tudo é circular... o começo e o fim... o amor e o ódio... Tudo acaba onde começa o outro... todos os sentimentos são circulares.

Enfim... tudo futilidades...