quinta-feira, fevereiro 21, 2008

Esconder...

Um dia natural para o tempo do universo. Mas para quem estava por aqui pela Terra pode acompanhar um momento quase raro: O momento em que a lua se esconde do Sol.

Bem, era essa a expectativa. Infelizmente o céu não cooperou. Talvez ela tenha se intimidado diante de tantos olhos e olhares em sua direção e resolveu tecer um cobertor de nuvens para se esconder do Sol. Era um esconder para esconder.

Momentos mágicos na pedra do Arpoador sentindo as premissas de uma chuva que agora cai e atrapalhado pelas luzes dos câmeras de uma emissora de televisão, tentando mostrar pessoas que iam assistir ao Eclipse.

Mas ela não decepcionou. Apareceu, mesmo que de relance, só para mostrar o momento em que ia ficar totalmente escondida, para depois sumir entre as nuvens.

Aquele céu nebuloso começava a clarear e ser riscado por esparsos raios e relâmpagos. Dando ainda mais beleza ao espetáculo.

Mas a melhor parte foi ver o eclipse de perto... ele sumindo e aparecendo, se contraindo... Horas tímido... horas descarado, sarcástico, mau... Mas tinha seu charme... Mais bonito que o da Monalisa, muito mais expressivo... E, ainda por cima, tinha vantagens sobre quadros do Monet.