sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Extinção, utopia e coisa-e-tal...

Os cientistas ganham muito espaço na mídia e assustam muita gente quando falam que os recursos podem acabar e etc. Mas o mundo já acabou pra tantas coisas desde o começo... Por eras o mundo acabou e se reconstruiu. Estima-se que o mundo tem cerca de 4 bilhões de anos e nesse tempo antológico muitos seres foram destronados e retirados da sua posição de "topo da cadeia alimentar". Se acontecesse conosco seria uma conscequencia natural. Afinal, nos comportamos como um vírus. Sugamos nosso hospedeiro e quando ele enfraquece, morremos junto com ele... Mas nosso Planeta resitirá a nós.

E por falar em vírus, é tão impressionante nosso comportamento. Somos tão egoístas ao ponto de achar que o mundo vai acabar. Quem acabará será a humanidade. E talvez seja a seleção natural, a ordem lógica, o poder divino... Sei lá! E essa humanidade é tão estranha. Fica discutindo por eras a economia mundial, o estreitamento das comunicações e a planificação do mundo, quanto custaria uma missão tripulada à Marte e outras coisas.

Ontem, enquanto me preparava para a casa de minha namorada Poliana ficava pensando quanto dinheiro o mundo todo, somando todas as moedas, teria... E se ele fosse juntado e dividido proporcionalmente entre todos os habitantes... Será que alguém ainda passaria fome? Será que alguém dormiria sem um teto? Será que seríamos mais felizes?

Então, comecei a achar que o grande problema é o dinheiro. Temos que tê-lo. Há pessoas que arranjam meios discutíveis para conseguir isso. Será que se as relações comerciais ainda fossem pela troca seria melhor?

As vezes sinto vontade de sumir no mundo e viver só plantando o que fosse consumir. Viver só eu um pedacinho de chão e meu amor... Longe da sagacidade e estupidez humana...

Só não acho que, ainda assim, estaria salvo da extinção do vírus "ser-humano".